• Vacina contra HPV
    Normas Técnicas

    Características técnicas da vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano HPV (tipos 6, 11, 16 e 18), apresentando sua composição, indicações, advertências, interações medicamentosas, reações adversas, assim como descrição de informações científicas destinadas a profissionais da área da saúde.
  • Vacina contra HPV
    Informações médicas

    Através de uma exposição direcionada aos profissionais da área médica, são apresentadas informações científicas sobre a vacina quadrivalente contra HPV em uma entrevista com a Diretora do Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer, a Dra. Luisa Lina Villa é uma das maiores especialistas sobre o assunto no país.
  • Hepatite A

    A hepatite A é caracteristicamente uma doença aguda, auto limitada, associada a febre, indisposição, icterícia, anorexia e náuseas. A Hepatite sintomática ocorre em aproximadamente 30% das crianças infectadas menores de seis anos. Apresentamos também outras características da doença e do uso da vacina.
  • Hepatite B

    A infecção primária resulta em catapora, manifestada por rash generalizado, prurítico e vesicular, consistindo tipicamente de 250 a 500 lesões, febre leve e sintomas sistêmicos. As complicações incluem superinfecção bacteriana de lesões da pele, trombocitopenia, artrite, hepatite, ataxia cerebelar, encefalite, meningite ou glomerulonefrite.
  • Varicela - Zóster

    A infecção primária resulta em catapora, manifesta­da por rash generalizado, prurítico e vesicular, consistindo tipicamente de 250 a 500 lesões, febre leve e sintomas sistêmicos. As complicações incluem supe­rinfecção bacteriana de lesões da pele, trombocitopenia, artrite, hepatite, ataxia cerebelar, encefalite, meningite ou glomerulonefrite.
  • Difteria

    A difteria geralmente ocorre como nasofaringite mem­branosa ou laringotraqueíte obstrutiva. Essas infecções locais geralmente estão associadas com febre baixa e início gradual das manifestações durante um a dois dias.
  • Coqueluche

    A coqueluche começa com leves sintomas no trato respiratório superior (estágio catarral) e pode progredir para severos paroxis­mos de tosse (estágio paroxístico), muitas vezes com um ruído respiratório ca­racterístico. seguido de vômitos. A febre é ausente ou mínima.
  • Rubeola

    As anomalias mais comumente descritas associadas à síndrome de rubéola congênita são oftalmológicas (cataratas, retinopatia e glauco­ma congênito), cardíacas (permanência do ducto arterial, estenose de artéria pulmonar periférica), auditiva (surdez sensorioneural) e neurológicas (dis­túrbios de comportamento, meningoencefalites e retardo mental).